RESUMO DA HISTÓRIA DO COACHING

RESUMO DA HISTÓRIA DO COACHING

Em 1500 surgiu, na Inglaterra o uso da palavra “Coach” para denominar aquele que conduz uma carruagem que transporta pessoas de um lugar para outro.

Em 1850 a palavra “Coach” era utilizada nas universidades da Inglaterra para denominar o tutor de uma pessoa, aquele que ajudava os estudantes a se prepararem para os exames.

Em 1950 a palavra “Coaching” é introduzida pela primeira vez na literatura de negócios como uma habilidade de gerenciamento de pessoas.

Em 1960 um programa educacional da cidade de Nova York introduziu pela primeira vez habilidades de Coaching de Vida. Este programa foi transportado para o Canadá e melhorado com a inclusão do tema resolução de problemas.

Em 1980 alguns programas de liderança incluíram o conceito de Coaching Executivo e o mundo dos negócios começou a dar importância a esse tema. A partir da década de 80, o Coaching emerge como uma disciplina poderosa no desenvolvimento de pessoas.

Atualmente o Coaching utiliza muitos princípios e práticas provenientes da área esportiva. E o mundo corporativo e educacional já reconhece a profissão e a sua importância. A literatura e os nichos de atuação são crescentes e surpreendentes na sua magnitude. As principais áreas de atuação do Coaching hoje são profissional (negócios, carreira e executivo) e Pessoal (vida, esportes, saúde, relacionamentos, finanças, etc).

Entre as razões que geraram o grande avanço do Coaching nas empresas estão a necessidade dos executivos de lidar com constantes mudanças e pressões e de ter um profissional que lhe forneça suporte, encorajamento e ajuda. Além da descoberta do mundo corporativo da necessidade de fechar o ciclo de aprendizado com o suporte de Coaches.

Um bom Coach entende e se especializa continuamente em tudo o que se refere ao ser humano e ao processo de mudança e aumento de performance dos seus clientes. Para que o processo de Coaching funcione, o profissional Coach deve desenvolver um perfil, que contenha certas habilidades e competências (planejamento, comunicação, motivação, transformação, visão sistêmica, ética e caráter), certas características (comprometimento, confiança, congruência, generosidade, compaixão, entusiasmo), certos princípios (não julgamento, futuro x passado, ação) e seguir um código de ética da profissão.

E, principalmente, fazer parte do grupo de seres humanos que busca constantemente a melhoria, evolução, aprendizagem, automotivação e autotransformação, tornando-se um exemplo e modelo de excelência pessoal. Como toda atividade humana inovadora, o Coaching enfrenta incompreensões e resistências de quem não conhece profundamente a essência do processo. Mas basta conversar com quem tenha participado de um processo conduzido por um profissional competente, para que os resultados alcançados justifiquem e validem o processo de Coaching.

Daniel Goleman, autor do best-seller “Inteligência Emocional” afirma que “um Coach nos ajuda a descobrir nossos sonhos, entender nossas forças, proporcionar novos entendimentos, trazer um grande impacto sobre os outros e nos guiar nos passos da aprendizagem”.

Atualmente o Coaching utiliza muitos princípios e práticas provenientes da área esportiva. E o mundo corporativo e educacional já reconhece a profissão e a sua importância. A literatura e os nichos de atuação são crescentes e surpreendentes na sua magnitude. As principais áreas de atuação do Coaching hoje são profissional (negócios, carreira e executivo) e Pessoal (vida, esportes, saúde, relacionamentos, finanças, etc).

Entre as razões que geraram o grande avanço do Coaching nas empresas estão a necessidade dos executivos de lidar com constantes mudanças e pressões e de ter um profissional que lhe forneça suporte, encorajamento e ajuda. Além da descoberta do mundo corporativo da necessidade de fechar o ciclo de aprendizado com o suporte de Coaches.

google-site-verification=WtX8Zc1in7XG8wsLe_ICSSwo0X5U2TopwpvZQ4olOxw